Como ser freelancer e ter dinheiro?

 

Freelancing rima com “malabarismo financeiro constante”. Concordam?

O maior problema de qualquer freelancer é saber lidar com as remunerações variáveis. As despesas são fixas mas as remunerações não. É preciso seres metódica para conseguires gerir a parte financeira, para depois teres espaço mental para a parte criativa.
Então, (million dollar question) como ser freelancer e não ter problemas de dinheiro?
O método 50/30/20 pode salvar-te.

Calma, não precisas de fazer muitas contas, é muito simples.

O método 50/30/20 consiste em dividir cada remuneração em três partes:
Para despesas fixas (representam 50% do valor): Segurança Social, Rendas, Telecomunicações, Pagamento por Conta, Seguros, Créditos…
Para despesas adicionais (representam 30% do valor): Supermercado, Livros, Ginásio, Roupas…
E, para poupanças (representam 20% do valor): Conta Poupança.

Simplificando… se tiveres um pagamento de 1.000,00 eur.:
50% do valor (500,00 eur.) são para despesas fixas.
30% do valor (300,00 eur.) são para despesas adicionais.
20% do valor (200,00 eur.) são para a conta poupança.

Se fizeres este exercício para cada pagamento que recebes (é indiferente o montante) vais:
– ter uma noção real dos gastos
– perceber que não é tudo lucro
– vai ajudar-te a fazer melhores orçamentos
– a ter sempre dinheiro de lado para os meses de pior rendimento

Evita:
– tirar dinheiro da conta poupança a toda a hora
– gastar dinheiro (esta é óbvia) mas, a verdade é que queremos sempre ter mais, então utiliza outro método, o das 48h! Sempre que te apetecer comprar alguma coisa que esteja fora do teu orçamento, deixa passar esse tempo, se te esqueceste é porque não tinhas necessidade.
– achar que não vale a pena colocar de lado (os 20%) de um pequeno montante, todos os cêntimos contam.

Saber exactamente quanto dinheiro tens e onde o gastas é extremamente importante para teres sucesso. Não há outro caminho para conseguires trabalhar por conta própria.

Tive a ajuda do livro “The Working Woman’s Handbook” para escrever este artigo.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *